O ser humano mente

sexta-feira, 14 de novembro de 2008, by Fabricio Shsn

E mente mesmo. Você também mente. Hoje eu entrei em uma sapataria, vi um tênis, experimentei e gostei. Daí fui perguntar o preço, o cara ainda veio sorrindo: "como ele está saindo de linha entrou em promoção, saindo por 429 reais, em 10x sem juros!". Coitado, ele tava achando que o pobre lazarento aqui cuspia notas do Tesouro Nacional por aí. Então eu falei: "eu vou dar uma conferida em um outro modelo que vi na outra sapataria, mas qualquer coisa eu volto pra pegar esse mesmo". Depois que eu saí que eu percebi o que havia dito. Ora cacete, por que eu simplesmente não disse que estava caro e que não iria comprar? Eu não entendo o porquê dessas mentirinhas. O vendedor já sabia que eu não iria voltar, não custava nada ser franco com o coitado.

A mesma coisa acontece nos presentes de fim de ano. Família toda reunida, chega aquela sua tia avó semi-esclerosada com uma embalagem molenga de presente para você. De cara, já sabe-se que é cueca ou meia. Você dá aquele sorriso falso, abre e constata que é mais um daqueles lindos kits de cuecas trêix por dé reau e, pasmem, você solta aquela máxima: "Obrigado, eu estava mesmo precisando!". Se alguém visse minha gaveta de tralhas, ficaria admirado com a quantidade desses kits-cueca que eu tenho e não uso. São muitas tias, logo, muitas cuecas e apenas uma pessoa para usá-las (se bem que tem umas que eu teria vergonha de usar, parece mais um coador de café o negócio). Mas a questão é: por que não fui sincero e falei "obrigado tia, mas eu vou trocar, não gosto desse tipo de cueca"? Talvez por medo de acharem que sou estúpido, talvez por tradição, falta do que falar, desagrado, comodismo, sei lá! Eu me revoltei comigo mesmo com essas mentirinhas, e vou tentar passar a falar a verdade, nua e crua, doa a quem doer. E se algum dia eu te presentear com um kit-cueca, saiba que "foi de coração!".


Clique aqui e comente!

Uma mongolice só! Olha que lixo:

Anônimo disse...

n quero comentar n me obrigue me deixe ser anonimo