Texto Nonsense - Fernando, o Nerd

terça-feira, 14 de outubro de 2008, by Fabricio Shsn

PAF! E lá está mais um mosquito morto grudado na parede. Fernando não tem dó de nada que atrapalhe sua concentração diante do computador. É mosquito, mosca, aranha, lagartixa, cachorro, mãe. Tudo leva um tabefe, Fernando é impulsionado pela raiva e pelo stress causados pelo mundo fora de sua realidade. O computador é sua vida, nada pode tirá-lo dali. Seu grande sonho é virar uma placa-mãe, para ver de perto todos os processos que ocorrem dentro do seu computador. Amigos e parentes temem pela sua saúde física e mental, que parece ter piorado desde o dia que ele criou um software que ele diz ser sua namorada. Fernando e sua namorada - nomeada por ele de Linuxinha - tem uma relação doentia. O casal mantém contato físico através do hardware, que Fernando alisa suavemente como se fossem os seios de uma menina. E a cada dia que passa ele se comporta de uma maneira mais absurda.

Alguns anos atrás, dona Armelinda, sua mãe, entrou no quarto e viu seu filho pelado lambendo o fio do teclado e introduzindo seu orgão genital na ventoinha do computador. Chocada, Armelinda pediu uma explicação. Ele alegou estar fazendo sexo com sua namorada, e pediu para que a mãe saísse do quarto, pois estava deixando Linuxinha constrangida. Sua mãe, muito católica, logo temeu que o capeta estivesse possuindo seu filho. Um exorcista foi chamado até a casa, mas seus métodos não surtiram resultado algum. Fernando continuava tarado por seu computador e sua namorada imaginária. Fernando não sai de seu quarto para nada, nem mesmo para fazer cocô. Desesperada, sua mãe recolhe as fezes do filho, que caem ao lado da cadeira. Fernando é um vegetal virtual. Sua tendinite se agravou tanto que hoje ele usa as mãos apenas para acariciar Linuxinha, sua querida esposa. Mas o motivo por estar descrevendo tudo isso é que no ano passado aconteceu algo muito estranho.

O fornecimento de energia elétrica foi interrompido no bairro onde mora o Nerd-vegetal por várias horas. Dona Armelinda ficou assustada ao não ouvir barulho no quarto de Fernando. Subiu as escadas e encontrou sua nora - digo - o computador desligado e seu filho, caído no chão. Ela chorou freneticamente ao ver aquilo, teve um ataque cardíaco e caiu quase morta no chão. Após um tempo, a luz é reestabelecida, e Linuxinha e Fernando voltam a vida. Ele olha para o chão e vê sua mãe, morta, e sorri. "Agora sim, farás parte do meu mundo!", exclama. O vegetal-virtual coloca o corpo de sua mãe sobre o scanner, liga-o e, como se tivesse sido abduzida, sua mãe some do quarto e aparece na tela do computador! Era tudo o que ele queria, um corpo! Ainda desmaiada, a agora virtual Armelinda não sabia o que havia acontecido com ela. Fernando prontamente passa um anti-vírus em sua mãe e ela se recupera. Chocada, ela grita e pergunta a si mesma o que teria acontecido. Apressado, Fernando abre o Photoshop e, utilizando-se de seus dotes, transforma sua mãe em uma mulher extremamente gostosa e sensual. Abriu outro programa que ele criou, retirou o cérebro da mãe e substitiu-o pelo de sua amada, Linuxinha. Agora Linuxinha finalmente tinha um corpo! E pela primeira vez ele pode transar vendo sua amada, ainda que no fundo ela fosse sua mãe, mas o incesto não preocupava Fernando. O problema é que Linuxinha engravidou, e o filho do vegetal-virtual acabaria sendo seu irmão! Ele tentou formatar o bebê, mas era tarde demais. Em uma de suas madrugadas em claro, Fernando viu assustado o nascimento de seu filho-irmão, que foi cuspido pela impressora. Feliz e confuso, Fernando deu a ele o nome de TJK100T:V2. Fernando estava feliz ao saber que havia feito um filho como ninguém jamais havia feito, mas sua alegria durou pouco. Linuxinha não resistiu a sobrecarga de memória do parto e executou uma operação ilegal, morrendo em seguida. Desesperado, Fernando pegou o pequeno TJK100T:V2, amassou-o e jogou-o no lixo, acusando-o da morte de sua amada.

E hoje, pela primeira vez em anos, Fernando desligou seu computador. E nisso sossegou seus olhos e então Maria Lúcia ele reconheceu, ela trazia a Winchester 22, a arma que seu primo Pablo lhe deu. Então ele apontou para a cabeça, apertou o gatilho e morreu.

TJK100T:V2 foi encontrado por um lixeiro, que entregou-o a um orfanato. Ele foi adotado por uma rica família inglesa, e pretende estudar Direito em Harvard.


Clique aqui e comente!

9 mongolices:

viciado em kof disse...

hahahahahahaha...que viagem...fala sério...esses textos non-sense são demais!!!

Pipoca disse...

Eu ia deixar um comentário legal aqui, mas já que vc está me chamando de mongol, vou guardar minha mongolice pra mim.. =ppp

aushaushuashas

www.pipocandoporai.blogspot.com

Zero 00 disse...

nemli

TJK100T:V2 disse...

haha, sinto informar mas eu sou TJK100T:V2. RÁ.

Anônimo disse...

caraca!! nunca li nada taum absurdo, e idiota em toda a minha vida... e o pior é que li tudo...
e o pior ainda é que axei engraçado....Deus Perdoai-me.. eu ñ sei o que faço!!!
parabéns o criador.. disso aí!

Anônimo disse...

caraca!! nunca li nada taum absurdo, e idiota em toda a minha vida... e o pior é que li tudo...
e o pior ainda é que axei engraçado....Deus Perdoai-me.. eu ñ sei o que faço!!!
parabéns o criador.. disso aí!

cleosinha disse...

nossa pirado o texto

carol_estilosa disse...

adoreiii o texto, voce tomou cha de trombeta antes de fazer isso?
o que voce tomou?
eu quero tambem...

bgs, e sim, sou mulher :D

mata cupins disse...

Tá com cara que tomou já de cogumelo com vinho branco pira o cabeção