quarta-feira, 20 de outubro de 2004, by Fabricio S.

Ontem entrei no banheiro dos alunos daqui do colégio onde faço estágio. E atrás da porta, é lógico, está tudo pichado. Entre aquelas lindas frases do tipo "cagar é uma arte profunda; a merda bate na água e a água bate na bunda", encontrei algo no mínimo original: Um círculo, e embaixo a frase: "Se você odeia a diretora Fulana, deposite algo aqui em cima." E dentro do círculo tinha de tudo: prego, bolinha de papel higiênico, chiclete, pentelhos, meleca, entre outras coisas nojentas. E já tinha tanta porcaria grudada que a porta parecia abrigar um maldito tumor maligno. Semana que vem eu vou voltar lá pra ver se os faxineiros limparam aquilo ou se a "corrente grudenta do ódio" vai continuar crescendo e conquistando mais fãs, o que é bem provável.


Clique aqui e comente!

Nenhuma mongolice! Que derrota!