Coincidência

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008, by Fabricio S.

Hoje estava andando pela rua, com meu mp3, feliz e sorridente ouvindo músicas que a maioria esmagadora do povo brasileiro não conhece. Ao adentrar o consultório onde eu teria consulta, desliguei o player e tirei o fone da orelha. O engraçado é que a música continuou tocando. Pus os earplugs no ouvido, mas não saia som. Para meu espanto, era o rádio do consultório médico que estava ligado e tocando a mesma música que eu estava ouvindo, acreditem ou não: Bush - Greedy Fly! Qual a probabilidade disso acontecer novamente? Nula, eu diria, já que a maioria das rádios no Brasil tocam apenas músicas comerciais, e o Bush nem existe mais, uma pena.

Isso me faz lembrar dessas coincidências que todo mundo têm na vida. Eu tenho uma espécie de maldição com o número 222. São placas de carro, telefones, endereços e até mesmo horas. Já cheguei ao cúmulo de um dia olhar aleatóriamente para o relógio, e ser dia 22, às 2h22m22s da tarde. Se isso não é assombração/macumba/maldição/coincidência, eu não sei mais o que é isso. Outra coisa que também ocorre comigo é pensar em uma pessoa e poucos segundos depois ve-la andando na sua direção. Segundo o Jung (se não o conhece vale a pena conhecer) isso é a chamada "sincronicidade", a sua mente meio que estar em sintonia com todas as forças ocultas da natureza que regem o mundo e todas as pessoas. É uma forma bonita de se dizer que o ser humano tem um poder mental descomunal, mas que de fato não sabe porcaria nenhuma sobre o cérebro: já li em algum lugar que alguns cientistas estimam que não se conhece nem 10% do poder cerebral.

Agora pensem, seus mongóis... imaginem se um dia nasce um lazarento que, por dom divino, saiba usar todo o potencial do cérebro? Se um cara desses começa a fazer palestras pra atrair inocentes para vender Herbalife, vai escravizar o mundo inteiro! A cada esquina que você cruzasse, haveria um Herbachato tentando te convencer que aquele é o negócio da sua vida! Pensando bem, prefiro que o mundo continue assim como está, com o nível de atividade cerebral no mínimo. Falando nisso, desligue esse computador, pegue um caderno e uma caneta, vá até o vaso sanitário e relaxe. Ponha tudo de bom e de ruim pra fora, deixe sua criatividade fluir: crie um texto nonsense!


Clique aqui e comente!

2 mongolices:

Cherrymint disse...

Essa de usar 10% já foi desmentida a muito tempo.

Valéria disse...

Sabia que esses textos nonsence eram frutos de cagadas...
:)