sábado, 4 de junho de 2005, by Fabricio S.

Vida corrida, mas não posso deixar de registrar e compartilhar a bizarrice que presenciei na última quinta-feira. Voltando da universidade, último ônibus, 23hs. Como de costume, entra um sujeito conhecido daqui do meu bairro, e ele quase que sempre encontra-se em alto grau etílico. E na hora de saltar do ônibus, ele vai na minha frente. De repente só vejo o bêbado tropeçando, pulando e sei lá mais o quê. Eu estranhei, afinal, bêbado quando cai não pula, fica jogado no chão por um tempo. Foi então que percebi que tinha um filhote de gambá, e o sujeito pisou no coitadinho quando desceu do ônibus! Após muito lutar, o filhote de gambá saiu correndo, e o bebum apoiou-se na parede e ficou ali, ofegante, com um ar de pavor na face. Eu só fico imaginando a desgraça da pobre esposa desse homem naquela noite: não bastava o fedor da cachaça, o maldito também fedia à gambá!


Clique aqui e comente!

Nenhuma mongolice! Que derrota!