domingo, 23 de janeiro de 2005, by Fabricio S.

Esses dias presenciei uma cena grotesca. Saindo de noite da casa da minha namorada, passei por uma rua que tem um prédio que dizem ser o maior puteiro não declarado de Petrópolis. E tou andando na calçada, tranqüilo, quando do nada cai um travesseiro no meio da rua. Fiquei olhando aquilo e não entendi nada. Daí começou a gritaria:
- Aqui tu num fica mais, seu filho da puta!!!
- Calma amor... calma!!!
- Tu vai ver a calma, seu viado!!!
Nisso juntou um galerão que tava trabalhando na oficina, e ficamos todos rindo da situação. Continuaram quebrando o barraco, e começou a voar mais roupa no meio da rua, teve até uma meia que caiu em cima de um carro que passava. Agora eu fico pensando: considerando-se que ali é um puteiro, qual teria sido o motivo da briga? Traição é meio difícil, já que a moça em questão deveria ser uma mulher-da-vida, uma biscate, uma zabaneira, uma bagageira, uma meretriz, uma quenga, uma cortesã, enfim, uma puta. Será que o engraçadinho tentou sair sem pagar? Ou será que ele broxou e enfezou a mulher com isso? É, há coisas na vida que não têm resposta. Para todas as outras, existe Mastercard.


Clique aqui e comente!

Nenhuma mongolice! Que derrota!