quarta-feira, 15 de dezembro de 2004, by Fabricio S.

Cassete, hoje pela primeira vez na vida pude sentir de verdade o que é uma mulher suada. A desgraçada trabalhando do meu lado, suando que nem uma porca e fedendo. Cara, nem eu fedo assim! Era um cheiro ardido, forte, ela tava pior do que peão de obra voltando pra casa. E pensar que horas antes ela tinha perguntando qual perfume eu usava... mas essa é a vida: suada e fedida. E por falar nisso, alguém conhece algum desodorante que proteja por mais de 12h? Não quero ser obrigado a ter que presenteá-la com água sanitária.


Clique aqui e comente!

Nenhuma mongolice! Que derrota!