sábado, 7 de junho de 2003, by Fabricio Shsn

Caraca, meu dia foi maravilhoso hoje, ou quase. Fiz a prova de matemática financeira e me dei bem, namorei muito (tava há uma semana sem beijar por causa da infecção de garganta) e comi só comida gostosa. Tudo estaria perfeito, não fosse a maldita vontade que senti. Saindo da casa da minha namorada, eu entro no ônibus. De repente, me deu aquela puta vontade de fazer xixi. "Ai, que merda! Tenho que mijar", eu pensei. Eu tentava me distrair pensando em outra coisa, mas a dor só ia aumentando. Finalmente cheguei no centro da cidade, e fui para ooooooutro ponto pegar ooooooutro ônibus. E fiquei eu em pé esperando. E a dor aumentando! Eu olhava pra banca de jornal que estava fechada e pensava: "Caraca, eu tenho que fazer xixi! Mas será que alguém vai olhar? Caraca, tá doendo muito!" Mas aí pensei mais um pouco, não era correto nem confiável fazer ali. E aumenta a dor! Nessa hora eu ja tava me curvando pra frente. Após os 5 minutos mais longos da minha vida, chega o meu ônibus. E eu crente que o martírio iria acabar. O ônibus começa a andar nas malditas ruas históricas de paralelepípedo. O ônibus treme. Minha bexiga pula. E eu me segurando todo pra não molhar a cueca. "Motorista filho da puta! Acelera essa merda", eu pensei, não falei, é claro. E finalmente a minha casa. Me arrasto até o portão e me deparo com a minha cachorra fazendo xixi! Isso é um sinal dos deuses, não é possível! Subo a escada correndo sem medo do pingo amarelo atingir minha cueca, abro a porta do banheiro e AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH! É praticamente um orgasmo! Meu Deus, nunca fiz um xixi tão gostoso e tão demorado! Foi daqueles que você chega a virar os olhos pra cima e pensa: "pra que ter dinheiro se eu posso fazer um xixi como esse". Nossa, até me deu vontade de tirar água do joelho depois de escrever isso... dá licença.


Clique aqui e comente!

Nenhuma mongolice! Que derrota!